Defensoria dá início a atendimento criminal em novo espaço no Fórum da Barra Funda, na Capital  
Imprimir  Enviar  Fechar
Veículo: DPE/SP
Data: 10/1/2018
 
Nos primeiros 2 dias, foram 364 pessoas atendidas no novo Centro de Atendimento Criminal

A Defensoria Pública de SP deu início na última segunda-feira (8) ao atendimento ao público na área criminal na cidade de São Paulo em seu novo espaço inaugurado no Complexo Judiciário Ministro Mário Guimarães – Fórum Criminal da Barra Funda.

Nos primeiros dois dias de atividades, foram atendidas 364 pessoas – 177 na segunda e 187 na terça-feira – no novo Centro de Atendimento da Defensoria Pública. Durante essa fase de início do trabalho no local, vários órgãos administrativos da Defensoria acompanham as atividades, para o devido suporte: 2ª Subdefensoria Pública-Geral, Assessoria Criminal e Coordenadoria de Tecnologia da Informação, bem como Assessoria de Qualidade do Atendimento e Inovação, que continuará acompanhando os trabalhos durante todo o mês de janeiro.

“Nos surpreendemos positivamente com o início dos trabalhos, porque esse atendimento envolve vários setores, que estão trabalhando em conjunto. O fluxo correu bem, foi muito positivo. A tendência agora é que fique mais fluido e haja um ganho na rapidez, na qualidade e na precisão do atendimento”, afirmou o Defensor Tiago Buosi, Assessor de Qualidade do Atendimento.

   

Localizado no Prédio Anexo do Fórum Criminal, o espaço concentra diversas áreas de atendimento, que antes estavam dispersas pelo prédio principal, e possui estrutura adequada para recepção ao público. Antes, muitas vezes as pessoas tinham que aguardar em filas e bancos localizados nos corredores do prédio principal do Fórum.

O Centro de Atendimento abarca casos do Atendimento Inicial Criminal (AIC), do departamento de Inquéritos Policiais (DIPO) e das Varas de Execução Criminal (VECs). O trabalho utiliza o sistema Defensoria Online (DOL), permitindo o cadastro das informações, agilizando as análises e permitindo os registros devidos.

“Foi planejado um lugar que pudesse realizar o acolhimento antecipado, permitindo a recepção e orientação precisa de pessoas que possuem processos criminais em trâmite e de seus familiares. Deixamos um espaço improvisado em um corredor para um lugar em que os cidadãos e cidadãs podem ser atendidos com dignidade, evitando o percurso interminável e aflitivo pelas diversas ruas e avenidas do interior deste Fórum em busca muitas vezes de uma singela informação”, afirma o Defensor Público-Geral, Davi Depiné.

O espaço conta também com Centro de Atendimento Multidisciplinar, composto por Agentes com formação em Psicologia e Serviço Social, bem como sala própria para a Ouvidoria da Defensoria Pública. O local foi viabilizado após tratativas feitas ao longo de 2017 entre a Defensoria Pública-Geral e a Presidência do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Atendimento

Para receber atendimento, é preciso comparecer ao local entre 10h e 12h, horário em que são distribuídas senhas ao público. No caso do atendimento DIPO (que inclui audiências de custódia), a distribuição de senhas segue até as 18h.

Os atendimentos das Varas Criminais, do Júri, do Juizado Especial Criminal (Jecrim) e do Juizado de Violência Doméstica (JVD) serão mantidos no interior do Fórum, nas salas das respectivas Defensorias.


Imprimir  Enviar  Fechar