Acesso  

A Defensoria Pública de São Paulo está realizando o processo de escolha para o cargo de Ouvidor/a-Geral da instituição no biênio 2018/2020.  
 
O cargo de Ouvidor/a-Geral deve ser ocupado por pessoa externa aos quadros da carreira, escolhida pelo Conselho Superior da instituição com base em lista tríplice elaborada mediante voto direto dos/as cidadãos/as, nas Regionais da Defensoria Pública no Estado. Depois de escolhido/a e nomeado/a, o/a Ouvidor/a-Geral tem mandato de dois anos no cargo.
 
O processo de escolha do/a Ouvidor/a-Geral é regulamentado pela Deliberação CSDP nº 341/17.
 
Há seis candidatos/as ao cargo, que se inscreveram para o processo durante o mês de janeiro, após a publicação de edital. Veja aqui a lista completa de candidatos/as.
 
No dia 5 de abril, eleitores/as previamente cadastrados participaram da votação para a formação da lista de tríplice de candidatos/as ao cargo nas sedes das Regionais da Defensoria Pública.
 
Apurados os votos, foi obtido o seguinte resultado, que será encaminhado ao Conselho Superior para análise e escolha do/a próximo/a Ouvidor/a-Geral:  
 
 

 

NÚMERO DE VOTOS

Irina Karla Bacci

28

Ligia Samanta Pirutti Salvador

19

Raquel da Cruz Lima

28

Rute Alonso da Silva

41

Washington Carlos de Almeida

652

Willian Fernandes

1550

Em branco

5

Nulos

9

TOTAL

2332

 
 
Saiba mais
 
O/A Ouvidor/a-Geral da Defensoria Pública paulista não pode assumir externamente qualquer outra atividade remunerada, exceto o magistério. À Ouvidoria-Geral compete, dentre outras atribuições, propor medidas para o aperfeiçoamento dos serviços prestados pela instituição, promover atividades com a sociedade civil, receber reclamações e sugestões dos/as usuários/as e participar do Conselho Superior da Defensoria Pública, com direito a voz.  

 


 Home